O modelo de equações estruturais é um modelo linear que estabelece múltiplas relações entre variáveis latentes ou observadas. Este modelo divide-se em duas partes: modelo de mensuração e modelo estrutural. A validação do modelo de mensuração é fundamental quando se utiliza modelagem de equações estruturais.

O modelo de mensuração tem a finalidade de verificar se os itens de cada constructo medem com precisão o seu respectivo conceito, enquanto que o modelo estrutural define as relações de causa ou associação entre as variáveis.

Para verificar se o conjunto de itens mede com precisão o conceito proposto e validar o modelo de mensuração, é necessário a utilização de técnicas estatísticas. O que muitas vezes acaba sendo ignorado é que a forma de validar um modelo de mensuração depende se os constructos são formativos ou reflexivos.

Equações Estruturais


Exemplo de Modelo de Equações Estruturais

Validação do modelo de mensuração com constructo reflexivo

Para verificar a validação do modelo de mensuração quando os constructos são reflexivos, devem ser verificadas a validação convergente, validação discriminante, confiabilidade e dimensionalidade.

Validação Convergente

A validação convergente avalia o grau em que duas medidas do mesmo conceito estão correlacionadas. Para verificar a validade convergente é utilizado o critério proposto por Fornell e Larcker (1981) que indica validação convergente quando a Variância Média Extraída – AVE for superior a 50% (ou 40% no caso de pesquisas exploratórias). (Nunnaly, et al., 1994).

Validação Discriminante

A validação discriminante verifica o grau em que um constructo é verdadeiramente diferente dos demais. A validade discriminante geralmente é feita comparando a variância extraída (AVE) com variância compartilhada, de forma que a variância compartilhada entre os constructos não pode ser maior que suas respectivas variâncias extraídas.

Confiabilidade

A confiabilidade mede a consistência interna entre os valores medidos dos itens de um constructo. Para mensurar a confiabilidade são utilizados o Alfa de Cronbach e a Confiabilidade Composta. Os indicadores Alfa de Cronbach e Confiabilidade Composta devem ser maiores que 0,70 para indicar a confiabilidade do constructo, sendo que em pesquisas exploratórias valores acima de 0,60 também são aceitos (Hair, et. al, 2009).

Dimensionalidade

Para verificar a dimensionalidade dos constructos pode ser utilizado o critério de Kaiser, por exemplo, que determina a quantidade de dimensões do constructo.

Validação do modelo de mensuração com constructo formativo

A validação do modelo de mensuração formativo requer uma abordagem diferente do modelo reflexivo. Para avaliar o modelo formativo é necessário verificar se os pesos são significativos ou maiores que 0,20 e se as cargas fatoriais são maiores que 0,60 (Lohmoller, 1989; Chin, 1998b), uma vez que se houver pesos não significativos e cargas fatoriais baixas, não existe suporte empírico para manter o indicador no modelo (Cenfetelli e Bassellier, 2009). Também deve ser avaliado se os Fatores de Inflação da Variância (VIF) são menores que 5, evitando assim problemas de multicolinearidade.

A alta correlação entre os itens que formam um constructo é um fator que favorece o alcance dos critérios de validação de um constructo reflexivo. No entanto, se a correlação for muito alta, podem ocorrer problemas de multicolinearidade em constructos formativos, apresentando valores de Fatores de Inflação da Variância altos.

Teve alguma dúvida para fazer as validações necessárias em um modelo de equações estruturais? Deixa sua dúvida aqui nos comentários para conversarmos mais sobre o assunto!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar dessa discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *