A Modelagem de Equações Estruturais começou a ser utilizada para o marketing nos anos 80, mas nos últimos anos, essa técnica se tornou muito popular devido ao interesse de pesquisadores em analisar múltiplas relações entre fatores inobserváveis. O CB-SEM é um método mais conhecido, enquanto que o PLS, apesar de ser menos popular, tem sido cada vez mais aplicado em diferentes áreas das ciências por ser um modelo mais robusto.

Mas como escolher qual das duas abordagens é a mais indicada para as análises que você precisa fazer? Essa é a dúvida que vamos esclarecer nesse artigo. Continue lendo para saber mais sobre as características específicas desses modelos de equações estruturais.

Objetivos dos modelos

Como já vimos anteriormente, a abordagem CB-SEM é usada principalmente para confirmar ou rejeitar teorias. Esse método desenvolve uma matriz de covariância teórica baseada em um conjunto de equações específico, focando em estimar o modelo de forma que a diferença entre a matriz de covariância teórica e a matriz de covariância estimada seja minimizada.

Já a abordagem PLS é usada principalmente para desenvolver teorias em pesquisas exploratórias ou em extensões de teorias já existentes. Esse método é similar a uma análise de regressão múltipla, em que a modelagem é feita visando maximizar a variância explicada dos constructos latentes dependentes em uma modelagem causal.

Características dos dados

A estimação do modelo pelo CB-SEM requer um conjunto de suposições a serem preenchidas (normalidade multivariada dos dados, tamanho mínimo de amostra, etc), sendo que quando essas suposições são violadas, os resultados podem ser altamente imprecisos. Já o PLS é uma técnica mais robusta que não requer essas suposições e possui poucos problemas de estimação.

Quando a suposição de normalidade é violada no CB-SEM, é possível utilizar estimadores robustos para a análise, mas se o tamanho da amostra for pequeno, o PLS deve ser utilizado. Com tamanhos de amostras grandes, os resultados dos dois métodos são similares.

Especificações do Modelo de Mensuração

O PLS trabalha tanto com constructos formativos, quanto com reflexivos. O CB-SEM também trabalha com constructos formativos, mas para isso, é necessário utilizar regras de especificação complexas e limitadas. Sendo assim, quando existem constructos formativos, é melhor optar pelo PLS. Além disso, se os termos de erro tiverem algum tipo de especificação adicional como covariância, o CB-SEM deve ser utilizado.

Equações Estruturais - Constructos

Especificações do Modelo de equações Estruturais

Se o modelo estrutural é complexo (ex: modelo apresenta muitos constructos), é melhor utilizar o PLS, mas se o modelo é não-recursivo é necessário utilizar o CB-SEM. Cabe ressaltar que existem outros métodos que podem ser utilizados para ajustar modelos não-recursivos.

Validação do Modelo

validação dos modelos CB-SEM e PLS

O PLS não apresenta uma medida global de qualidade de ajuste do modelo, então se for necessário utilizar esse tipo de medida, é melhor utilizar o CB-SEM. Se for necessário utilizar os escores das variáveis latentes do modelo em análises posteriores, é melhor utilizar o PLS. Já para testar a invariância do modelo de mensuração, é melhor utilizar o CB-SEM.

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre as abordagens mais utilizadas em equações estruturais, deixe seu comentário aqui em baixo! E siga-nos no Facebook, Instagram e LinkedIn para ficar por dentro de todas as novidades e artigos publicados no blog.

Artigo desenvolvido com a colaboração de Luana Sílvia dos Santos

Referências:

HAIR, Joe F.; RINGLE, Christian M.; SARSTEDT, Marko. PLS-SEM: Indeed a silverbullet. Journal of Marketing theory and Practice, v. 19, n. 2, p. 139-152, 2011.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar dessa discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *