Numa época em que se fala tanto sobre big data é curioso perceber que poucas são as empresas fazendo realmente um bom uso dos dados. Tanto os que estão disponíveis na rede quanto aqueles gerados nos processos internos ou na jornada do cliente podem validar ideias ou servir de insights para pensar novas estratégias e isso é parte da cultura de dados tão importante para as empresas líderes de mercado.

Ter uma cultura orientada para dados é mais do que saber coletar e armazená-los, essas etapas são importantes, mas é fundamental conseguir extrair deles informações valiosas. Porém, essa competência ainda está em desenvolvimento para muitos times de dados.

A cultura de dados, ou data driven, é uma tentativa de incorporar nos valores da empresa a coleta, o armazenamento e o uso racional dos dados e é sobre isso que vamos falar no artigo de hoje. Mas antes de entrar no mundo dos dados vamos dar um passo atrás e entender mais sobre cultura empresarial.

O que é cultura organizacional?

Cultura é o conjunto de valores e crenças que orienta a vida cotidiana das pessoas. A cultura de um povo é formada por diversos aspectos que vão desde comida, religião e festas até a forma como estabelecem prioridades e tomam decisões.

O mundo corporativo usa esse conceito para definir e entender como os funcionários de uma empresa se comportam e de que maneira a cultura interfere no dia a dia das pessoas dentro e fora da companhia. Algumas culturas organizacionais mais fortes impactam até na imagem da marca e na opinião pública, outras ficam mais restritas aos colaboradores e tomadas de decisão internas.

A cultura é formada por pessoas e só se mantém viva quando as pessoas vivem de maneira intensa os seus valores.

Uma cultura forte se reflete em todos os processos dentro da companhia. Nas contratações, por exemplo, os futuros funcionários devem ter uma afinidade com os valores da cultura organizacional já estabelecida. Assim, a convivência e o compartilhamento de experiências são mais eficientes.

Mas se a cultura é feita de pessoas então como funciona uma cultura de dados?

Como funciona uma cultura de dados?

Como toda cultura é constituída por pessoas vivendo seus valores, a cultura data driven é constituída de pessoas que entendem a força que os dados têm e sabem da importância de registrar e extrair informações valiosas de uma base de dados organizada.

É fundamental entender que a análise de dados é uma ferramenta para ajudar na tomada de decisão e não algo que vai substituir o processo decisório ou criativo dos funcionários. A ciência de dados serve para testar ideias, estipular metas, controlar rendimentos, entender cenários e ter insights. 

Mas porque isso é importante para a minha empresa?

Por que a cultura de dados é importante?

o valor dos dados nos negócios

Os cargos criativos e de liderança serão os mais beneficiados pela ampla utilização dos dados para a validação de ideias e tomada de decisões executivas. Testar novos produtos e saber qual foi a aceitação entre o público ou medir o desempenho de uma equipe são exemplos de atividades que ficam muito mais simples com o uso de dados.

A empresa como um todo pode se beneficiar da análise de dados estabelecendo metas e maneiras de acompanhar o seu desenvolvimento. Por isso dizemos que a cultura de dados é também uma cultura que foca em resultados, principalmente os que podem ser apresentados em números.

Essa cultura também possibilita a previsibilidade, já que um dos objetivos de estudar os dados e medir o desempenho do que já foi feito é poder olhar para a o futuro sabendo o que tem a maior chance de dar certo.

Num mercado supercompetitivo estratégias usadas para trazer inteligência de mercado, agilidade e precisão para os processos são sempre bem-vindas e podem ser o diferencial de uma empresa líder de mercado.

Como implantar uma cultura de dados?

Implantar esse mindset na empresa é um desafio mais cultural do que tecnológico. O conhecimento para realizar esse trabalho já existe, a questão é como implementar na empresa e fazer com que os colaboradores entendam a necessidade dessa mudança.

Para isso, é preciso fazer com que eles entendam o valor do trabalho com dados, explicando como devem ser feitas as coletas e como eles podem se beneficiar com a utilização dessa estratégia. Em alguns casos estabelecer uma cultura data driven está mais ligada a implementar alguns valores na cultura que a companhia já tem do que reconstruir uma cultura do zero.

Na maioria das vezes vai ser preciso estabelecer novos processos e KPIs – ou outras formas de estabelecer metas e medir resultados – lembrando sempre de envolver os colaboradores no processo. Dessa forma é possível mostrar o valor que o projeto tem e fazer com que os funcionários assimilem a cultura de dados.

O último passo é implantar, de fato, a tecnologia dentro de um ambiente em que todos já entendem a importância dos dados, tem os objetivos traçados e sabem o que fazer com as informações coletadas. É o ambiente perfeito para receber especialistas, cientistas de dados ou até mesmo um time de data science terceirizado.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe o blog da Oper e siga-nos no Instagram, Facebook e LinkedIn para saber de todas as novidades!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar dessa discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *